Programas de Afiliados: Proposta de Taxonomia

A quantidade e os vários tipos de programas de afiliados deixam qualquer iniciante confuso. Em grande parte, isso se deve à ausência de um sistema de classificação que abarque todo o cenário e nos dê uma visão geral dos programas de afiliados. No ebook grátis Tudo Sobre Afiliados – Guia Completo, Anderson Chipak e Vinicius Horta falam em Redes de Afiliados, Afiliados de Nicho e Google Adsense. Porém, eu gostaria de deixar aqui minha contribuição no intuito de ajudar você, meu leitor, a captar melhor o cenário dos programas de afiliados brasileiros.

A taxonomia (classificação) de programas de afiliados pode obedecer alguns critérios. Como vimos no artigo As 3 Articulações dos Programas de Afiliados e Galinha dos Ovos de Ouro, o modelo convencional de programas de afiliados prevê a existência de três articulações distintas: 1) anunciantes, 2) programa de afiliados e 3) editores (blogueiros). Porém, nem sempre isso ocorre.

 

articulacoes-programas-afiliados-anunciantes-editores

 

Além dessa diferenciação na forma dos programas de afiliados, ainda há duas modalidades importantes de classificação: por conversão (ou por etapas do Funil de Marketing) e por diretórios e categorias, desdobrando esta última em nichos e campanhas.

 

CLASSIFICAÇÃO DE PROGRAMAS DE AFILIADOS POR FORMA

O formato convencional de um programa de afiliados inclui três figuras que se articulam: 1) os anunciantes, 2) o sistema de afiliação e 3) os editores ou blogueiros.  A junção ou ausência de alguma dessas três articulações podem sugerir classificações diferenciais na forma. Baseado nisso, podemos classificar os programas de afiliados em:

 

classificacao programas afiliados forma

 

PROGRAMAS DE AFILIADOS CANÔNICOS OU CONVENCIONAIS (REDES DE AFILIADOS)

São aqueles que possuem as três articulações presentes: anunciantes, sistema de afiliados e editores. A injeção da verba no sistema é feita pelos anunciantes. O sistema de afiliação presta serviço publicitário que pode ser contratado por múltiplas empresas anunciantes. O ingresso no programa geralmente é gratuito. Por exemplo, Google Adsense, Netaffiliation, Confilio e Public Ideas. São também conhecidos como Redes de Afiliados. O Google Adsense é um caso à parte.

 

PROGRAMAS DE AFILIADOS PROPRIETÁRIOS (AFILIADOS DE NICHO)

São aqueles em que há apenas uma empresa (ou pessoa física) e ela é também proprietária do sistema de afiliação. A estrutura fica bipolarizada em empresa-editores. Os programas de afiliados proprietários podem ser aquisitivos ou francos.

Nos programas de afiliados proprietários aquisitivos, você é impelido a comprar um produto ou contratar um serviço para poder participar do programa, injetando verba no sistema (por exemplo, Clube Dinheiro no Facebook, Magnet System, Kit Ganhe Dinheiro Online).

Nos programas de afiliados proprietários francos, basta você se cadastrar para participar (por exemplo, Segredos do Adsense, Como Criar um Blog de Nicho e Ganhar Dinheiro na Internet, Submarino, Theme-Junkie).

Embora seja controvertida a legitimidade de alguns programas de afiliados representantes deste ramo de classificação, por causa do desequilíbrio entre a renda do proprietário e as rendas dos afiliados, a decisão de participar cabe a cada um.

 

PROGRAMAS DE AFILIADOS IRREGULARES OU ANÔMALOS

São aqueles que não se classificam em nenhuma das categorias anteriores, por exemplo, Wibi.

 


 

CLASSIFICAÇÃO DE PROGRAMAS DE AFILIADOS POR CONVERSÃO OU ETAPA DO FUNIL DE MARKETING

Pelo critério da conversão (ou etapas do Funil de Marketing), os programas de afiliados são classificados em:

  • CPM,
  • CPC e Duplo CPC
  • CPF
  • CPA
  • CPL
  • CPV)

 

programas afiliados conversao funil marketing

 

Os primeiros exigem menos ações do visitante e, por isso, são mais fáceis de converter; os últimos são mais rentáveis. Emparelhando com as etapas do Funil, melhor ficaria:

Exposição da marca (branding) e projeção de produtos/serviçosCPM (Custo por Milhares de Visualizações). No CPM, a conversão ocorre quando a marca da empresa ou um banner de produto são mostrados no seu blog, gerando sua comissão.

Geração de tráfegoCPC (Custo por Clique) e Duplo CPC (Custo por Clique Duplo). No CPC, a conversão ocorre quando um visitante clica no banner em seu blog e é encaminhado para o site do anunciante, gerando sua comissão. O Google Adsense é o maior exemplo desta categoria.

Geração de cadastros e leadsCPF (Custo por Formulário), CPA (Custo por Ação), CPL (Custo por Lead). No CPF, a conversão ocorre quando o visitante preenche um formulário, gerando sua comissão. No CPA, a conversão ocorre quando o visitante que você encaminhou para o site do anunciante realiza alguma ação (cadastro, depósito), gerando sua comissão. No CPL, a conversão ocorre quando o indivíduo cadastrado previamente é efetivamente aceito pelo programa de afiliados, gerando sua comissão.

Conversão em vendas: CPV (Custo por Venda). No CPV, a conversão ocorre quando uma venda é realizada, gerando sua comissão.

Observe na sequência abaixo que, quanto mais para a direita, mais ações o visitante (cliente) terá que tomar e, mais difícil (ou mais rentável) se torna a conversão.

 

programas afiliados conversao

 

CONVERSÃO: O MOMENTO EM QUE VOCÊ GERA UMA COMISSÃO

A taxonomia por conversão pode ser também chamada de classificação por etapas do Funil de Marketing. As empresas anunciantes estão interessadas em quatro coisas:

1) exposição da marca (branding),

2) aumento da audiência (geração de tráfego),

3) aumento da base de dados de clientes (geração de leads) e

4) vendas.

Vamos utilizar a exposição da marca como exemplo. Quando você coloca um banner com a marca da empresa anunciante em seu blog, você está realizando branding para essa empresa. Se no acordo realizado com o sistema de afiliação, a empresa anunciante declarou que pagaria pela exposição da marca nos blogs participantes (ou pela simples projeção de produtos), então, cada vez que a marca, produto ou serviço, forem mostrados em seu blog, uma conversão se estabelece e uma comissão é gerada para você (CPM).

Da mesma forma, ocorre com as etapas de geração de tráfego, de geração de leads e de geração de vendas. Se você vai receber comissões ou não por cada uma dessas etapas, vai depender do acordo que a empresa anunciante fez com o sistema de afiliação e da definição de conversão acertada.

 

CLASSIFICAÇÃO DE PROGRAMAS DE AFILIADOS POR DIRETÓRIOS

Esta é a classificação mais útil para os blogueiros em busca de um programa de afiliados que se encaixe na temática de seu blog (nicho), pois informa as categorias, campanhas e nichos dos programas. Um primeiro nível de um  diretório de programas de afiliados poderia ser este:

 

classificação taxonomia diretorio programas afiliados

 


8 Responses to Programas de Afiliados: Proposta de Taxonomia

  1. Danilo Soares disse:

    Material Completo sobre programas de afiliados este que voce criou Valter. Guia muito bom.

  2. […] se lê, nem se ouve tanto quanto antes sobre os programas de afiliados tradicionais. Os infoprodutos invadiram o palco de vez. Contudo, isso não afastou a venda de produtos físicos […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>